segunda-feira, junho 09, 2008

A REALIDADE ALAGOANA

É difícil discorrer sobre a realidade do estado de alagoas sem um pouco de rancor. Pode-se dizer também que juntamente ao rancor há muito de esperança. O rancor e a esperança assim se fazem presentes por que anos se passam, crianças nascem, prédios são erguidos, pleitos eleitorais se seguem, mas a dignidade desse povo não é respeitada.

Somos testemunhas da falta de responsabilidade e ética na administração pública. Nesse caso, pra nossa sorte ou azar, não é só alagoas que sofre com tal. O Brasil inteiro é assolado, pelas mazelas oriundas da raça dos políticos corruptos. Não que os problemas de um lugar, país ou região sejam exclusivamente por culpa de pessoas que se dizem políticos. Não. Aqui, os problemas são também históricos. As capitanias hereditárias deixaram seus rastros e até hoje percebemos o reflexo desse fato. A história deixou seu rastro negativo.

Um estado com muitos ricos, donos de enormes punhados de terra, empresários que passam de geração em geração sua riqueza outrora furtada da nação ou dada sem o devido merecimento ou amparo legal (moral), centralizadores de oportunidades e amigos da desigualdade social, pois no outro lado há os que são os desamparados pela história e sobrevivem no dia a dia trabalhando como escravos modernos dando, sem reconhecimento, sua força de trabalho para enriquecer ainda mais esses históricos ricos.

A falta de apoio em vários sentidos, de educação, de respeito, são lástimas, vergonhosas continuidades alagoanas. O estado menos desenvolvido do Brasil, pior estado do país em muitas outras coisas, como se sabe. Porém, alagoas não vive só de sua história ruim. Seu passado, assim como sua realidade, é ilustrado pelas belezas naturais, as belas praias do litoral, as paisagens inspiradoras das cidades pequenas e acolhedoras do interior, os rios que geram a vida no sertão e no semi-árido, ainda, o aguçado senso de aprendizagem e criatividade do povo. Alagoas é um gerador de relíquias nacionais e mundiais do quilate de nomes como Jorge de Lima, Pedro Ivo, Djavan, entre tantos outros, na música, na literatura ou poesia, no esporte etc. Sempre há a face de alagoas sobressaindo em algum lugar do Brasil e do mundo.

Com um pouco mais de consciência social o estado poderá passar de poço de rancor e de esperanças para uma realidade bastante próspera. As resoluções são de infinitas possibilidades. Talvez, o futuro só necessite da ajuda de nós, pessoas que reflitam essa pequena consciência de querer o melhor para o coletivo. Talvez baste cada um fazer a sua parte.

Um comentário:

Pimentel disse...

Ouvi o seu grito! se cada um fizer a sua parte, nós mudaremos essa triste realidade.. Gritemos também!