quarta-feira, janeiro 21, 2009

50

É difícil falar exatamente o que se quer quando isso irá desencadear reações indesejáveis. Difícil mas necessário.

Tudo é um ciclo, não é mesmo? Assim é a vida. Nascemos, crescemos, envelhecemos e morremos. Numa razoável porcentagem de vezes e deixando de lado catástrofes e coisas do tipo, começamos bem, saudáveis, temos recaídas, pioramos, ficamos mal, mas logo estamos saudáveis novamente, até que uma hora não tem saída e tudo termina.

Teimo em querer ser o mais breve possível, em não ver horizontes tão distantes ao ponto de me instigar chegar até o seu limite, ir vivendo e vivendo e vivendo... A verdade é que quero viver mesmo. Loucura. Pois é. Que se dane o ciclo. Ou melhor, que tudo termine, mas que termine no fim. Quero viver e não sei como.

Não tenho essa idéia tão disseminada de viver tudo, quero somente viver. Viver já é uma grande coisa. Uma vida... É... É estranho abordar isso.

Entre espaços em branco e notas musicais mal aprendidas.... Vivo. Estou vivo. Estou vivo!

2 comentários:

Pequena Poetiza disse...

viva... aprendendo a sua maneira de viver
o que mata nossa vivacidade é espelhar nosso caminhar no outro
o gramado do vizinho sempre nos parecerá mais verde
e o fim tem a cara q vc quiser dar

Marinho Salgado disse...

Não tenho essa idéia tão disseminada de viver tudo, quero somente viver. Viver já é uma grande coisa. Uma vida... É... É estranho abordar isso.

Concorso Wenndell, mas essa 'coisa' também me pegou, não que eu quisesse, é a vida!